Artistas

Kepa Junkera & Sorginak
País Basco, Espanha

O grupo feminino Sorginak é uma erupção de percussão basca. As seis jovens pandereteiras formam um colectivo impregnado da tradição. Sempre a vozes, límpidas, frescas, lindas. Cantam e bailam e tocam como gente grande. A elas junta-se Kepa Junkera, o notável e consagrado mago da trikitixa (concertina basca), para uma celebração musical carregada de simplicidade. De um lado, nas mãos delas, a tradição do País Basco no seu estado mais puro. Do outro, nos dedos dele, o virtuosismo depurado do seu maior embaixador e artista. Assim começa mais um grande Festim!

Kepa Junkera - trikitixa e percussões
Amets Ormaetxea, Eneritz Aulestia, Irati Gutierrez, Garazi Otaegi, Maria Lasa, Alaitz Eskudero (Sorginak) - panderetas, percussões, vozes

Águeda Sáb 13 Junho 22h Praça do Município (S. Sebastião)
Estarreja Dom 14 Junho 22h Praça Francisco Barbosa (Festas da Cidade)

Jacky Molard Quartet
Bretanha, França

Com mais de 40 anos de carreira, o violinista Jacky Molard é uma instituição musical da Bretanha e muito conhecido entre os amantes da música celta, pela aproximação que faz da música bretã aos ‘reels’ irlandeses ou ao jazz manouche. Apresenta-se no Festim com o seu vertiginoso quarteto: além do endiabrado violino de Molard, ao palco sobem Yannick Jory e a sua destreza nos saxofones, o contrabaixo compulsivo de Hélène Labarrière e o acordeão, quase como um brinquedo, nas mãos de Janick Martin. Quarteto imperdível este, no Festim. Para vibrar por dentro e por fora.

Jacky Molard - violino
Hélène Labarrière - contrabaixo
Yannick Jory - saxofones soprano e alto
Janick Martin - acordeão diatónico

Oliveira do Bairro Sex 19 Junho 22h Quartel das Artes Dr. Alípio Sol
Albergaria-a-Velha Sáb 20 Junho 22h Cineteatro Alba

Noreum Machi
Coreia do Sul

O grupo sul-coreano Noreum Machi conjuga uma alucinante técnica de percussão de tambores e cantos xamânicos, com danças e rituais ancestrais da velha tradição oriental. Apresentam um espectáculo original que funde tradição, exotismo e modernidade, conquistando o público através da profunda emoção da sua performance. Instalado o transe, os Noreum Machi partem para cavalgadas rítmicas de deixar os olhos em bico. Com uma energia digna de Festim, transformam a percussão tradicional coreana em algo que soa tremendamente contemporâneo. O Extremo Oriente chega ao Festim!

Ju Hong Kim - director artístico, voz, janggu (djambé coreano), kkaenggwari (gongo pequeno), nabal (corneta trad. coreana)
Howon Lee –janggu, kkaenggwari, buk (tambor), coro
Hyun Ju Oh – janggu, kkwaenggwari, jing (gongo grande), nagak (corneta de búzio), taepyongso (oboé trad. coreana), coro
Youngjun Kim - taepyongso, piri (flauta de bambu), coro
Taeho Kim – buk (tambor), bara (pratos de choque), coro

Ovar Sex 26 Junho 22h Jardim do Cáster
Sever do Vouga Sáb 27 Junho 22h Parque Urbano (Feira do Mirtilo)

Hamilton de Holanda e Diogo Nogueira
Brasil

Dois dos maiores expoentes da nova geração da música brasileira - o cantor e estrela do samba Diogo Nogueira e o bandolinista Hamilton de Holanda - fundem os seus universos musicais no concerto Bossa Negra, sob inspiração do afro-samba. Um olhar brasileiro sem rótulo único, em magníficos duetos de voz e bandolim que só artistas deste estirpe conseguiriam engendrar. O concerto cruza samba, choro e jazz numa linguagem inédita, fazendo jus ao talento dos protagonistas, magistralmente acompanhados ao contrabaixo e à percussão. Festim sem este Brasil não seria a mesma coisa!

Diogo Nogueira - voz
Hamilton de Holanda - bandolim
André Vasconcellos - contrabaixo
Thiago da Serrinha - percussão 

Albergaria-a-Velha Qui 2 Julho 22h Quinta do Torreão (Albergaria ConVida)
Estarreja Sex 3 Julho 22h Cine-Teatro de Estarreja

Brigada Victor Jara
Portugal

40 anos de Brigada Victor Jara. Este é um concerto único e especial, por uma das maiores referências da música tradicional portuguesa nas últimas décadas. A efeméride encontra a Brigada num momento maduro da sua existência criativa, com a frescura contemporânea dos arranjos e o grande talento dos actuais músicos. Os seus concertos e a sua discografia, integralmente reeditada neste ano de 2015, reflectem a diversidade regional do cancioneiro português e o contributo inigualável que o colectivo coimbrão tem dado à memória da música em Portugal.

Aurélio Malva - bandolim, guitarra, gaita de foles, viola braguesa e voz
Catarina Moura - voz
Manuel Rocha – violino
Luís Garção Nunes - guitarra, viola beiroa e cavaquinho
José Tovim - baixo e coros
Rui Curto - acordeão e concertina
Miguel Moita – teclados 
Quiné – bateria e percussão
Arnaldo de Carvalho – percussões e coros 

Sever do Vouga Sex 4 Julho 22h Parque Urbano

Richard Bona
Camarões

Richard Bona, um dos maiores baixistas do mundo, é uma lenda viva. Ter nascido numa pequena aldeia africana não o impediu de vir a tocar com nomes como Pat Metheny, Chick Corea ou Bobby McFerrin. Talento puro, diz-se que Bona tem o dom de aprender a tocar qualquer instrumento apenas por observar. Cantor, compositor, multi-instrumentista, Bona mistura as raízes africanas com o jazz contemporâneo, num mapa de sonoridades que vai da balada ao rock tropical, passando pela rumba e pela fusão. Bona estará no Festim acompanhado pela sua banda inter-racial, para três concertos de nível mundial.

Richard Bona - baixo e voz 
Adam Stoler - guitarras 
Etienne Stadwijk - teclados 
Ludwig Afonso - bateria
Tatum Greenblatt - trompete

Águeda Qui 9 Julho 22h Largo 1º Maio (Agitágueda)
Albergaria-a-Velha Sex 10 Julho 22h Cineteatro Alba
Ovar Sáb 11 Julho 22h Praia de Esmoriz

Orquesta Típica Fernández Fierro
Argentina

Directamente de Buenos Aires para o Festim, esta orquestra de tango apresenta uma atitude inigualável em palco. Tocam tango com alma roqueira – ou será rock com alma tangueira? - e renovaram radicalmente a cena musical argentina, com recurso apenas à potência acústica dos instrumentos clássicos do tango, numa frente sonora de bandoneóns e violinos. A Orquesta Típica Fernández Fierro eleva cada canção a um limiar de vida ou morte, com a impressionante entrega dos seus músicos. Eis no Festim um dos grupos mais agressivamente contemporâneos da história do tango!

Federico Terranova, Alex Musatov e Bruno Giuntini - violinos 
El Ministro, Eugenio Soria, Fausto Salinas e Julio Coviello – bandoneóns 
Charly Pacini - viola 
Alfredo Zucarelli - violoncelo 
Yuri Venturín - contrabaixo
Santiago Bottiroli - piano
Julieta Laso – voz

Águeda Qui 16 Julho 22h Largo 1º Maio (Agitágueda)
Sever do Vouga Sáb 18 Julho 22h Parque Urbano

Ferro Gaita
Cabo Verde

O nome Ferro Gaita vem da combinação de dois instrumentos: o ferro (pedaço de metal tocado com uma faca) e a gaita (concertina, como a conhecemos em Portugal), utilizados num dos géneros musicais de Cabo Verde, o funaná. Em contraponto à doçura da morna, os Ferro Gaita apresentam uma música enérgica e desbravam novos caminhos para a música cabo-verdiana, ao juntar-lhe a bateria, o baixo, os sopros. Além do funaná, tocam também o batuque e a tabanka, viajando pelo mundo e acumulando prémios e actuações ao vivo sempre surpreendentes, como vêm a ser estas a fechar o Festim!

Estevão Tavares (Iduino) - gaita (concertina) e voz
Carlos Lopes (Bino) - ferrinho e voz
Emanuel Tavares - congas, percussão e voz
Frutuoso Pina - percussão, caneca e voz
Luis da Veiga - bateria
Mário Mendonça - baixo
José Varela - trombone de vara, percussão e voz

Águeda Qui 23 Julho 22h Largo 1º Maio (Agitágueda)
Albergaria-a-Velha Sex 24 Julho 22h Parque da Mobilidade
Ovar Sáb 25 Julho 22h Praça da República
            

   O Festim é membro do EFWMF.